domingo, 14 de julho de 2013

OLÁ, NEGAGE


Outrora, nos tempos em que havia Portugal em Angola, já na virada nos tempos, era aqui, bem pertinho, que chegou a funcionar  um posto aduaneiro, que ficava bem no centro de uma encruzilhada de estradas e caminhos , nos anos quarenta, era  'Ngaje'   uma povoação comercial que servia de sede do posto de Dimuca, concelho de Ambaca, sendo talvez a razão primeira que levou o Negage a ser erigido à condição de cidade!
Num flash de memória, vejo as montras da cidade, partindo da 3ª. Companhia - Congo Agrícola e caminhando rumo à Capôpa e vou parando frente a essas montras, sendo agora a vez da Papelaria 13, onde o senhor Horácio se afadiga a entregar a 'Bola' ou o 'Mundo Desportivo' aos clientes mais fiéis, que tudo fazem para manter a inscrição para os jornais em dia.  Seguidamente é a loja do irmão do Horácio, com novidades para o lar das meninas casadoiras. Atravessei, para descer pela rua que vai em  direcção à Capôpa, a rua perpendicular onde está SHELL e o PAD. Parei mesmo em frente ao 'Gaspar & Fernandes Lda' e deliciei os olhos com tudo quanto as montras expunham.
 Passei  mesmo  em frente da casa do velho 'Ginja', do Stwart , vi a montra da Foto Cruz, bebi uma NOCAL no Pérola do Negage,  andei a deambular um pouco por todo o lado, desci em direcção ao Cáua, passeando na alta varanda da casa, estilo colonial, do velho Sequeira.

A foto não é grande coisa, ao contrário das  lembranças que a mesma suscita. No entanto... o anúncio é por demais evidente: Ali já não é mais o "Gaspar & Fernandes" mas um qualquer comerciante que aproveitou a fama do antecessor, e eis agora a loja do Gonçalinho e da sua prole. É justo que se aproveite aquilo que de bom ainda existe no Negage. 
Reparo na foto que o piso é terra batida, 'Mac'Adame' pronto a receber o alcatrão, que ali existiu nos tempos do Administrador Reis, do Baganha e de toda a rapaziada que fazia do Negage a sua zona de acção. Já foi picada, sim senhor, e muito pó vermelho era 'comido' nos dias em que o vento fazia das suas. 
 Também o virar da  história deu  um aeroporto à cidade, em detrimento de um Aeródromo Base que foi estratégico e que tão cobiçado foi pelos Movimentos independentistas, especialmente a Unita, que por  várias vezes conquistou, nos anos noventa. Não foi apenas  a guerra, mas foram as guerras que desgastaram o alcatrão e fizeram nascer um outro NEGAGE, que a foto nos mostra, e  não podemos  deixar de nos emocionar pelas saudades tremendas daquilo que ali foi o nosso passado, mas também pelo  futuro que merece ser risonho.