sexta-feira, 29 de outubro de 2010

TODOS OS SANTOS... ESTAMOS NESSA!

Não tardará muito e Angola estará a comemorar mais um ano da sua independência... e isso não poderá passar sem uma reflexão, considerando estar a Igreja a comemorar TODOS OS SANTOS E SANTAS DE DEUS, a que se seguirá TODOS OS FIÉIS DEFUNTOS.
É precisamente porque o dia 2 de Novembro recorda aqueles que morreram e foram para junto de Deus, depois que no dia 01 lembrou os que mereceram as honras de estarem inscritos no rol dos bem aventurados, sejam eles mártires, confessores, doutores da Igreja ou simples homens e mulheres que sofreram com Cristo e com Ele foram glorificados, porque Santos são aqueles de qualquer estadio ou ordem que foram chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade, porque todos somos chamados à santidade: "SEDE PERFEITOS COMO O VOSSO PAI CELESTE É PERFEITO" -. Mt 5,48
Em Portugal o Dia de Todos os Santos é o dia em que as crianças, bem cedo, saem à rua em pequenos grupos e vão pedir o "PÃO POR DEUS".
Em alguns locais diz-se que é o DIA DOS BOLINHOS. Logo depois do almoço, vai-se até aos cemitérios enfeitar as campas dos nossos familiares e amigos falecidos, porque no dia 2 é Dia de Finados ou de Fiéis Defuntos.
Quando estava em Angola, concretamente no Negage, também estes dias eram vividos segundo a tradição da Metrópole, com os "Bolinhos" ou "Pão por Deus" e tudo o que isso comporta.
Hoje julgo que os únicos Santos que se comemoram na República de Angola serão a família Presidencial, ou Dos Santos, porque para eles o Povo não deve contar muito, a fazer fé na miséria que se encontra disseminada por todo o País. Estou a vêr as crianças, tolhidas pela fome, a irem à porta de casa da presidencial figura de Eduardo dos Santos ou das suas ricas filhinhas - e digo ricas no verdadeiro sentido do termo - pedirem "Pão por Deus" e serem corridos porque lhes foram soltos os cães.
Só que em Portugal, quando lhes não dão resposta positiva, os miúdos usam dizer "ESTA CASA CHEIRA A UNTO, POIS ESTÁ AQUI ALGUÉM DEFUNTO!", quando não coisas piores.
Seria bom que não houvesse nada a dizer quanto à festa da independência de Angola, a não ser que o Povo passou a ser tratado como merece e não como algo que se tolera, porque o mundo está atento e não gostaria de saber que apenas alguns beneficiam das prerrogativas que a riqueza do País dá para prover o efectivo bem estar de todos aqueles que são, quer queiram os Governantes ou não, os verdadeiros Santos e Santas de Deus... mesmo que não sejam conhecidos por ostentar esse nome, como alguns que se conhecem. Porque os Mártires, aqueles que sofrem fome e sede e padecem por amor de Cristo, são os que futuramente serão recordados nos 10 dias antecedentes à independência.

Sem comentários: