terça-feira, 5 de maio de 2009

48º. Aniversário do AB3

No próximo dia 23 de Maio vai ser comemorado mais um aniversário daquela que foi uma das mais queridas Unidades da Força Aérea em Angola.
Muitos daqueles que, em determinada altura das suas vidas, serviram o País durante as Guerras do Ultramar, deram o melhor de si mesmos nas terras do N'gage, irão estar presentes na festa comemorativa que irá acontecer em Sintra, na Base Aérea nº. 1 e na Academia da FAP, com a concentração junto da Porta d'Armas da BA1, às 10:00; pelas 11:00 será celebrada Missa evocativa da efeméride, na Capela de Nossa Senhora do Ar; às 12:00, frente ao Comando da BA1, será feita uma "foto de família"; às 12:30 será servido um almoço/convívio na Messe de Alunos da Academia; pelas 15:00 será efectuada uma visita ao Pólo de Sintra do Museu do Ar.
Não! Não está a ser lida a Ordem de Serviço do AB3, que dá o detalhe de serviço para o Dia da Unidade, onde tería-mos o Capitão Sá (Mouco) Nogueira a gritar a ordem, com aquela potente voz de comando que o tanto caracterizava: - "AVANÇA A BANDEIRA!". Não!!! Também não teremos o Capitão Brito, Comandante da PA, a berrar a plenos pulmões - "FIRMIIII...SENTIDO!".
Sentem-se saudades do Perestrelo... do Geadas... do Corbal... do Conceição e Silva... do Aníbal Freire... do Ramiro... do Abel Queirós... do Umbelino... do Belarmino... do Mesquita... do Capela... do Jacinto... do Saraiva... do Cravo... do Capelão Resende... do Manuel Pereira... do Melo... do Cavaco... do Caixas...do Portijo...do Pires... do Prego... do Amarelo... do Dr. Carlos Pinto... do Dr. Santos Silva... do Dr. Amândio Albuquerque...do Martinho Enfermeiro... do Noé... do Gandum... do Lanhas... dos Cabos Alegria, Corte Real, Maia e tantos outros, uns que já partiram, outros que vivem essa saudade de uma forma mais ou menos presentes neste dia de aniversário.
E também tenho saudades das irmãs Fernandes, a Isabel e a Apolónia, da Ana Maria da Cantina, do Valdemar da carpintaria, desaparecido trágicamente na DO-27 onde pereceram os Alferes Lamy, Leal Faria, Salgueiro Lopes, Sargento Mesquita... e de tantos outros funcionários civis que eram parte do AB3.
Parabéns, AERÓDROMO BASE Nº. 3! Vivemos contigo na memória!

8 comentários:

lili (Castro)laranjo disse...

vivemos de memórias...
recordei alguns mortos..dos acidentes de aviões que cairam...e foram muitos...
o Dr Albuquerque vive perto de mim e somos muito amigos...
beijos...

Rui Ferreira disse...

EMBORA TENHA SIDO CRIADO EM ANGOLA, NA CIDADE DO LUBANGO, NÃO ME LEMBRO DO PERESTRELO QUE ESTEVE NO AB3.
O MEU NOME COMPLETO É:
RUI MANUEL PERESTRELO ROSENDO FERREIRA.
SE PUDESSE AGRADECIA INFORMAÇÕES DO "PERESTRELO" SFF.

Victor Elias disse...

Caro Amigo Rui Ferreira:
Não sei quantos anos o meu amigo tem e qual a memória que tem do AB6, porque o Perestrelo que é aludido na minha mensagem terá setenta e tal anos, chama-se António, de primeiro nome, é Coronel da Força Aérea na situação de Reforma e esteve no Negage e no Toto nos anos de 1961 a 63, no período em que a então UPA se entretinha na sua cruzada de bem fazer... por enterrar o máximo de pessoas que pudesse, fossem militares ou civis.
Um abraço do Elias e obrigado por ter comentado o meu post.

Anónimo disse...

Boa tarde,

a minha mãe chama-se Teresa Esteves, e é irmã da minha tia Maria Esteves, ambas estiveram nesta altura em Angola, com os senhores.
A minha mãe conhece esta gente toda de que se fala aqui, e pediu-me para saber como poderia entrar em contacto com o responsável pelo blogue.
Os olhos dela encheram-se de lágrimas ao ver todas estas descrições e gostava muito de falar com alguém.

Obrigada,
Filipa Lopes

Anónimo disse...

Só para nota, a minha mãe Teresa Esteves e a minha tia Maria Esteves eram telefonistas da Messe de oficiais da BA3 do Negage e chegaram em 63.

Filipa Lopes

rotivsaile disse...

Cara Amiga:
Desculpe que a trate assim, mas entre pessoas que vivem uma mesma saudade, por certo há a palavra "AMIGO/A" a servir de plataforma de entendimento, porque a amizade é uma coisa de tal forma subjectiva que até pode ser cultivada.
Recordo bem a sua Mãe e a sua Tia, tal como recordo outros que foram parte do pessoal que comigo privou no Negage, nos idos dos anos 60. Aqui perto de mim mora o Mota, que foi colega da sua Mãe na Messe. Ela por certo recordará o Empregado de Mesa Mota e a ex-mulher dele.
Pergunte à sua Mãe se recorda o Elias, que estava nos vencimentos e foi para a Técnica. Trabalhei com o Cavaco, com o Guilhermino, o Alho, o Cotovio...
Cumprimentos para si, sua Mãe e Tia.
Victor Elias
Vá aparecendo!

Anónimo disse...

Caro amigo Elias:

Foi com muito gosto, alegria e emoção que, eu Teresa Esteves, li a sua mensagem, Sr.Elias.
Conheço todos aqueles que me descreveu e muitos mais que poderemos recordar com a continuação. Se tenho saudades de toda essa gente da nossa época e de todos esses tempos... nem é bom pensar, elas apertam!
Se conheço o empregado de mesa, o Mota, não é ele o meu ex-cunhado Aníbal Mota, por quem tenho uma grande amizade e nunca mais tive notícias dele? Sabe como posso entrar em contacto com ele?
O senhor mora em Sintra? Tenho aí família e vou algumas vezes aí, e brevemente vou a Mem-Martins ver a minha irmã Maria, e gostaria de reencontrar quem fosse possível. Eu vivo no concelho de Tondela.
Cumprimentos para si

Teresa Cerdeira Esteves

Anónimo disse...

sou: joaquim sousa fui militar no ab3 de 70/72,fui guarda redes do desportivo na equipa onde jogavam o sérgio teixeira´,louro ajambuja ,pinto, manhiça,silva,marcelo,lisboa ginga,liaúca e eu era o guarda redes sousa.
todos os anos em maio fazemos um convivio da malta do ab3 que será este ano no penultimo sábado de maio.apareçam,um abraço ,